O dia das mães dos bonecos gigantes de Olinda

15/06/2020

Bonecos gigantes prestam homenagem a mãe de todos os bonecos: A Mulher do Dia.

Reza a lenda que no início do carnaval de Olinda, os deuses bonequeiros do olimpo criaram apenas o Homem da Meia-Noite.

- Ô narrador, cá pra nós, precisa dessa dramaticidade toda mesmo?

Precisa sim, Homem da Meia-Noite. A história é minha e eu conto do jeito que eu quiser.

- Que ignorância da porra! Perguntei só por perguntar.

Mas continuando...

Como o Homem da Meia-Noite se sentia só, para fazer-lhe companhia, os deuses bonequeiros do olimpo criaram A Mulher do Dia.

- Ué, não fui tirada da costela dele não, foi?

Não, Mulher do Dia. Você não foi tirada da costela do Adão, quero dizer, do Homem da Meia-Noite.

- Ah, tá! Pensei!

Mas retomando a história...

Embora felizes com suas criações, os deuses bonequeiros do olimpo perceberam que faltavam filhos naquela família. E assim criaram o Menino e a Menina da Tarde.

- Não dava pra eu ser filho único não? Ter irmã é um saco.

Não, Menino da Tarde. Não dava pra você ser filho único não.

- E filha única? Porque esse meu irmão é um mala.

Não, Menina da Tarde, também não dava pra você ser filha única não. Vocês querem fazer o favor de calar a boca e me deixar continuar?

Continuando...

Tendo tomado gosto pela criação, os deuses bonequeiros do olimpo resolveram criar dezenas de outros bonecos gigantes. E assim nasceram: O Profeta, O Barba Papa, O Tarado da Sé, O John Travolta...

- Dá pra destacar que eu sou o primeiro dessa terceira leva de bonecos gigantes?

Dá sim, Barba Papa. Haja paciência, meu Deus! O-Barba-Papa-foi-o-primeiro-dessa-terceira-leva-de-bonecos-gigantes.

- Valeu! Brigado! Mas senti ironia nisso aí hem!

Mas como eu ia dizendo...

Como obras de criação, sem uma mãe natural, os deuses bonequeiros do olimpo decidiram que, por afetividade, todos os bonecos gigantes de Olinda seriam filhos da mesma mãe, ou seja, A Mulher do Dia.

- Como assim, virei uma coelha, foi? Tá pensando que minha pepeca é de borracha?

Não, Mulher do Dia. Nem você virou uma coelha, nem estou pensando que sua pepeca é de borracha. Isso é só um faz de conta. Estou apenas querendo dizer que você foi escolhida para representar a mãe de todos os bonecos gigante de Olinda.

- Ah, tá! Tendi! Que susto!

Dando continuidade...

É por isso que nesse Dia Das Mães todos os bonecos gigantes de Olinda irão almoçar com A Mulher do Dia, e a ela prestar homenagem.

- Vem cá, mas vão trazer comida, né? Porque eu não aguento cozinhar pra esse povo todo não. Sem querer fazer trocadilho, esses bonecos comem mais do que gigantes.

Kkkkkkk! Essa foi ótima! Vão trazer comida sim, Mulher do Dia. Eles sabem o quanto você é preguiçosa. Quero dizer, eles não querem lhe dar trabalho. Mas, por favor, me deixe terminar.

Finalizando...

Em cortejo, acompanhados por uma orquestra de frevo, a bonecada toda seguirá para a casa da Mulher do Dia. À frente irá um estandarte no qual se lê: Parabéns por ser a MAIOR mãe do mundo. A mãe de todos os bonecos gigantes de Olinda!

P.S.: Essa é a nossa homenagem ao Dia das Mães. 

____


Criação: Edmilson Nascimento                                                     

Publicação original: 26/04/2019